Jovem advogada é desagravada na Conferência de Porto Seguro (BA), por ter sido ofendida por juíza, no exercício de seu munus público

Públicado por em mar 25, 2015 em Banners, Jurisprudência STJ | Nenhum Comentário

Jovem advogada é desagravada na Conferência de Porto Seguro (BA), por ter sido ofendida por juíza, no exercício de seu munus público

Porto Seguro (BA) – Durante a I Conferência Nacional do Jovem Advogado, que termina hoje em Porto Seguro, o Conselho Federal da OAB, a seccional baiana e a subseção local desagravaram publicamente a advogada Inahani Santos Confolonieri, ofendida no exercício profissional pela juíza titular da Vara do Trabalho de Porto Seguro.
O vice-presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, classificou o ato de desagravo como um dos momentos mais lindos da profissão do advogado. “Inahani, estou com a voz embargada porque você nos deu, mesmo ainda jovem, um grande exemplo de respeito para com a nossa profissão. Quem desrespeita um advogado, não desrespeita somente os 850 mil integrantes da classe, mas desrespeita a democracia e a cidadania”, apontou.
“Quem atenta contra a independência e a liberdade do advogado, atenta contra o próprio Estado Democrático de Direito”, continuou Lamachia. “A maturidade de uma democracia se explica pelo respeito das autoridades às normas constitucionais. O agente público deve agir sempre em nome do cidadão, pelo cidadão e em respeito ao cidadão, jamais confundindo autoridade com autoritarismo”.
Luiz Viana, presidente da seccional baiana, usou uma metáfora para simbolizar a luta pela valorização do advogado. “Juntos enfrentamos as onças, mas sozinhos viramos comida delas”. O conselheiro federal pela OAB-BA Maurício Santos, que preside a Comissão de Prerrogativas da Seccional, leu o ato de desagravo à advogada e lembrou que faltou urbanidade e civilidade por parte da magistrada.
Emocionada, Inahani agradeceu à Ordem pela postura. “Meu sincero ‘obrigada’ ao presidente de minha subseção, José Arruda, porque se mostrou um profissional de palavra e jamais me abandonou. Ao Luiz Viana e ao Fabrício Oliveira, por igual, bem como o Conselho Federal da OAB, pela unanimidade no reconhecimento. Se for pra tomar partido, tomo por parte dos 850 mil guerreiros que somos. Nasci advogada e muito me orgulho desta profissão”, disse, após o desagravo.

Deixe uma resposta